A árvore que resistiu à bomba atómica de Hiroshima


O Parque florestal de Amarante , um dos lugares mais emblemáticos no centro de Amarante, situado na margem esquerda do Rio Tâmega , bem perto do Mosteiro de São Gonçalo , começou a ser plantado em 1916, por iniciativa de António do Lago Cerqueira (ex-presidente da câmara) e pode ser visitado todo o ano, com vegetação abundante e diversificada.

No interior do parque, em viveiros próprios, continuam a produzir-se muitas espécies arbóreas destinadas a florestação [no Centro Nacional de Sementes Florestais (CENASEF), sediado em Amarante, que é o principal fornecedor de sementes florestais em Portugal].Podemos ali encontrar histórias sem fim , destacando-se o Ginkgo biloba, ( ou nogueira do Japão), importante espécie de origem chinesa , uma árvore considerada um fóssil vivo, com registo de existência de uma idade de mais de 270 milhões de anos . É símbolo de paz e longevidade, por ter sobrevivido « naturalmente» às bombas de Hiroshima (no Japão) .No dia 6 de agosto de 1945 seis destas arvores resistiram à bomba atómica ,desabrochando no solo da cidade devastada com mais de 140 mil pessoas mortas instantaneamente e onde tudo ficou arrasado à sua volta. Existem há mais de 150 milhões de anos, do tempo dos dinossauros, estas árvores de efeito ornamental e propriedades medicinais tem sexo masculino e feminino e suas propriedades são utilizadas para cura de muitas maleitas, como doenças pulmonares , tratamentos de feridas, frieiras , combate ao envelhecimento das células , combate aos problemas respiratórios e auditivos e, até mesmo, para melhorar as performances sexuais . Os seus antioxidantes reduzem ainda os riscos de vir a sofrer de cancro ou problemas cardiovasculares. O Ginkgo tem sido também aplicado com algum sucesso no tratamento de enxaquecas, cefaleias, tonturas, vertigens e zunidos nos ouvidos.

Publicidade

As árvores mais antigas ocupam solo chinês, onde chegam a atingir mais de 30 metros de altura e 20 metros de perímetro e algumas têm aproximadamente 3000 anos. Estas árvores, que se tinham expandido um pouco por todo o hemisfério norte, encontram-se actualmente, tanto na zona mediterrânica como na Dinamarca, ou até na América do Norte .Uma árvore originária do Sudeste da China, no Parque Florestal de Amarante.
Paulo Barreira

Amarante e Ponte sobre o Tâmega 

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.