Amarante: Missa de homenagem a Agustina Bessa-Luís na Igreja do Mosteiro de Travanca

Realizou- se no dia 9 de Junho de 2019,pelas 8 horas,na Igreja de Travanca, Amarante,uma missa de homenagem a Agustina Bessa-Luís. No início da missa e na prática, o Sr. Padre Germano Ferreira Leça, pároco de Travanca, enalteceu a figura de Agustina Bessa-Luís, em particular no que respeita à sua fé como católica e às suas qualidades de pessoa simples e humilde. A este propósito, referiu que, durante muito tempo, Agustina vinha, com regularidade propositadamente do Porto, aos domingos, assistir à missa das onze e que se sentava sempre no terceiro banco a contar de trás; a mesma humildade revelava, ao misturar-se com os seus conterrâneos nas festas da freguesia de Travanca, em honra de S. Sebastião, em Janeiro.

Interior da Igreja do Mosteiro do Salvador de Travanca, Amarante
Foto: Rota do Românico

O Sr. Padre Germano lembrou as fontes documentais – o termo do Registo Civil de Amarante e o Assento de batismo da paróquia de Travanca – para provar a naturalidade da escritora e repetiu mais de uma vez as palavras que Agustina lhe dizia: “Eu nasci no Paço e sou da comunidade de Travanca.” Lembrou também que a escritora, sempre que ia à missa a Travanca, olhava emocionada para a pia onde foi batizada. O Sr. Padre Germano, por mais de uma vez, do altar apontou para a velha pia batismal, que se encontava propositadamente ornamentada de flores, e lembrou as palavras que ouvira de Agustina: “Foi aqui que tudo começou”. No final da missa, alguns dos presentes visitaram no cemitério local a campa, onde se encontram os restos mortais dos familiares de Agustina.

Publicidade
Agustina de Bessa-Luís
Foto: DR

Paulo Barreira
(engenheiro,natural e residente em Amarante)

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.